Há alguns fatores que precisam ser levados em conta na hora de criar um aplicativo de sucesso. Enquanto alguns se preocupam apenas em aplicar as melhores técnicas de SEO (Search Engine Optmization) para ocupar as melhores posições nos buscadores, outros apostam também na usabilidade, criando interfaces simples e amigáveis a fim de oferecer ao usuário a melhor experiência possível. Afinal, de que adianta estar com a visibilidade em alta e receber um grande volume de visitas se ao entrar no app o visitante não encontra as informações que procura?

Aqui entram duas siglas bem pertinentes para atender esta demanda digital: UX e UI. Ambas têm como objetivo garantir a simplicidade visual e a praticidade para dispor as informações que o usuário precisa. Seguindo nesta vibe, entenda os princípios básicos para tornar a interface de um sistema user-friendly.

Antes de mais nada, as 10 heurísticas de Nielsen

Antes de mostrar os princípios que regem a criação de interfaces inteiramente voltadas ao usuário, é bom conhecer, se você ainda não conhece, os parâmetros de usabilidade de Jakob Nielsen, nome famoso quando o assunto é debatido. Um deles, chamado de heurísticas, reúne 10 itens que devem ser considerados para evitar erros comuns de usabilidade. Então vamos a eles:

  1. Visibilidade de status de sistema: a interface deve sempre informar ao usuário o que está acontecendo;
  2. Relação interface do sistema x mundo real: toda a comunicação do sistema deve estar clara para o usuário;
  3. Liberdade e controle do usuário: as “saídas de emergência”, desfazer ou refazer ações, devem ser facilitadas para o usuário;
  4. Consistência: coisas similares devem ser tratadas da mesma maneira para facilitar a identificação do usuário;
  5. Prevenção de erros: um design cuidadoso deve ser priorizado, até mais que uma mensagem de erro;
  6. Reconhecimento ao invés de lembrança: o sistema deve dialogar com o usuário com informações que sejam capazes de orientá-lo;
  7. Flexibilidade e eficiência de uso: o sistema precisa ser, além de fácil, flexível para dar agilidade a usuários mais avançados;
  8. Estética e design minimalista: os textos do sistema devem ser simples, diretos, naturais e presentes apenas quando necessários;
  9. Ajude os usuários a reconhecer, diagnosticar e sanar erros: as mensagens de erro devem ser simples e claras, sempre indicando uma saída ou uma solução ao usuário;
  10. Ajude e documentação: um bom design deve evitar necessidade de ajuda para utilizar o sistema, mas não dispensa uma boa documentação à disposição e ao alcance do usuário.

Entenda os princípios da usabilidade

Uma interface simples e agradável combina boas técnicas visuais às boas práticas de usabilidade, entendesse? A comunicação precisa ser clara, concisa, intuitiva, responsiva (mobile-friendly), consistente, atrativa, eficiente e seguir a avaliação heurística para evitar erros e promover a melhor experiência possível ao usuário. Para completar, existem alguns princípios que seguem à risca as boas práticas:

Atenda às expectativas

Um bom design deve estar alinhado a uma boa comunicação. A interface deve ser simples, mas sem deixar o fundamental às escuras. Ao visitar o seu site, aplicativo, o usuário deve perceber no mesmo instante que está no lugar certo.

Sintetize as informações

Mantenha a objetividade em toda a comunicação. Se a informação é complexa, revele-a aos poucos para não desviar o foco e perder a atenção do usuário rapidamente.

Dê apenas o essencial

Quando temos muitas escolhas, não sabemos o que fazer com elas. Ficamos confusos, sem saber qual caminho seguir. O mesmo vale para o usuário. Disponha apenas as informações que interessam ao usuário.

Converse com as pessoas

 

58.jpg

 

Ao trabalhar no desenvolvimento do seu aplicativo, evite o tom imperativo ou monossílabo e siga mais a linha de uma conversa. Dê um toque mais pessoal para tornar a experiência do usuário único e mais próxima a você.

Considere cada usuário

Cada usuário tem diferentes níveis de habilidades, por isso, a interface deve ser pensada para atender dos jovens internautas até usuários mais velhos. Todos devem entender o que seu site ou aplicativo tem a oferecer.

Seja claro sempre

Não apenas com o texto, mas mantenha clareza até na parte visual. Isso é fundamental para a simplicidade. Crie uma hierarquia para guiar os usuários durante a navegação.

Entenda o problema

Para que um problema possa ser resolvido, você precisa entendê-lo primeiro. Assim, ficará muito mais fácil enxergar o que precisa ser feito, tornando a usabilidade ainda mais segura.

Faça testes

Testar qualquer coisa nova é quase que uma regra. Antes de publicar o seu aplicativo, você precisa fazer um teste com aqueles que serão seus usuários, captar dúvidas e desenvolver soluções.

Pense como o usuário

Se você está desenvolvendo um sistema para um público-alvo específico, você precisa pensar como ele usaria seus produtos. Esta interação pode mudar de um momento para o outro e também deve ser levada em conta.

Torne a experiência agradável

Só ter um grande volume de visitas não significa que a experiência do usuário é boa ou foi fácil. Retome todos os princípios citados aqui e os 10 parâmetros de Nielsen. Se você se saiu bem com todos. Então está no caminho certo.

Conclusão

Para que um site ou aplicativo seja bem sucedido, você deve desenvolver um projeto que tenha como base as reais necessidades do usuário com uma interface intuitiva, clara e evidente. Informações bem concisas e que guiem o visitante durante a navegação. Seções que sigam uma hierarquia visual, além de uma ordem cronológica de uso. Sem contar as ações mais comuns, que devem estar facilmente acessíveis, sem margem para confusões. Enfim, evite elementos desnecessários, aposte em uma identidade com elementos e recursos padronizados em todo o sistema e facilite ao máximo as coisas para o seu usuário.